Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

UTAD envolvida em projeto da Federação Portuguesa de Futebol

Alexandre Aleixo, Guilherme Vilela, Pedro Castro, Tiago Condeço, Tiago Guerra e Sara Santos conduziram o processo de recolha de dados em Montalegre. Foi feita uma avaliação inicial e final a 37 crianças, do 1º ao 4º ano de escolaridade, afetas ao grupo piloto, e também a 33 crianças, a frequentar os 2º e 4º anos, pertencentes ao grupo de controlo.

163

Publicidade

A competência motora de 70 crianças da Escola Básica de Montalegre foi avaliada por uma equipa da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e os dados foram integrados no projeto “Bola Mágica”, que passa agora a chamar-se “Super Quinas”. Promovido pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), este projeto-piloto envolveu mais de 1300 crianças, de 44 escolas localizadas em 24 concelhos do País. Os dados revelaram uma evolução positiva de 48% nas capacidades motoras e índices de felicidade de 100%.

Alexandre Aleixo, Guilherme Vilela, Pedro Castro, Tiago Condeço, Tiago Guerra e Sara Santos conduziram o processo de recolha de dados em Montalegre. Foi feita uma avaliação inicial e final a 37 crianças, do 1º ao 4º ano de escolaridade, afetas ao grupo piloto, e também a 33 crianças, a frequentar os 2º e 4º anos, pertencentes ao grupo de controlo.

“No horário das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) e Componente de Apoio à Família (CAF), foram desenvolvidas sessões lúdicas de atividade física-desportiva. Durante uma hora, a bola foi o centro das atenções, considerando a relação com o corpo, a relação corpo e bola e a relação corpo-bola-colega(s), procurando proporcionar-lhes experiências através de jogos lúdicos”, explica a investigadora Sara Santos.

Os resultados gerais deste estudo foram apresentados no primeiro dia do congresso “Desporto para crianças e jovens”, organizado pela Portugal Football School a 5 e 6 de maio, na Cidade do Futebol, em Oeiras.

Treino de criatividade (re)pensado na Cidade do Futebol

Sara Santos, investigadora do Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD), foi uma das oradoras principais do congresso “Desporto para crianças e jovens”.

“Re(pensar) o processo de treino para a criatividade: potencialidades e obstáculos” foi o tema que partilhou com a plateia de treinadores, professores e desportistas. Além de destacar as potencialidades de treinar para a criatividade e reconhecer os obstáculos enfrentados pelos treinadores quando incorporam estratégias diferenciadoras nas suas práticas, a investigadora apresentou os resultados mais recentes do programa Skills4Genius.

“Os resultados relacionados com a competência motora, criatividade motora, pensamento divergente e competências socioemocionais em crianças a frequentar o 1º ciclo do Ensino Básico superaram todas as expectativas, reforçando a necessidade de implementar boas práticas para melhorar as habilidades motoras fundamentais. O próximo passo será a disseminação a nível nacional como forma de complemento à Educação Física”, conclui Sara Santos.

Publicidade

Fonte desta notícia: UTAD