Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Turismo Militar – o que ver?

290
Ana Albuquerque

Ana de Albuquerque (Editora)

Mais deste autor
cultura_ciencia_tecnologia

Celebra-se a 18 de Maio o Dia Internacional dos Museus. Nesse dia, serão grayuitas as visitas a todos os Museus, Palácios e Monumentos tutelados pela Direcção Geral do Património Cultural (com observância, naturalmente, das regras de segurança, incluindo o uso de máscara e o número de visitantes em cada espaço).

Portugal, apesar de ter um território pouco extenso, possui uma riqueza patrimonial imensa. E tanto há por descobrir, nomeadamente no denominado “Turismo Militar” que pontilha de lés a lés o nosso país.

O interessado pode, através de um passeio curto ou mais prolongado, vivenciar espaços únicos, como Castelos, Palácios, Paços Ducais, Fortalezas ou mesmo Bibliotecas um tanto ou quando desconhecidas, sem esquecer locais extraordinários e únicos – como a Casa dos Gessos, que impressiona qualquer um, ou o Planetário Calouste Gulbenkian, considerado um dos melhores da Europa.

Ao visitar o site do Turismo Militar, ficamos a conhecer as Rotas e as parcerias que levam a este vasto património que perpetua a nossa memória coletiva, conta a nossa História de uma forma didática e lúdica e se esforça por cativar visitantes de todas as faixas etárias.

Veja-se o livro Roteiro dos Museus Militares, que oferece uma panóplia de opções para o visitante que não quer deixar escapar nada deste universo patrimonial que se estende de norte a sul e ilhas.

Mas, afinal, do que se fala exatamente? De Fragata D. Fernando, Aquário Vasco da Gama, Museu Almirante Ramalho Ortigão, Museu de Marinha, Museu do Combatente Lisboa e Porto, Museu do Fuzileiro de Vale do Zebro, Museu Militar de Bragança, Museu Militar do Bussaco, Museu Militar do Porto, Museu Militar de Lisboa, Museu Militar de Elvas, Museu Militar da Madeira, Núcleo Museológico Casa dos Gessos, Museus do Ar, Museu Militar dos Açores, Núcleo Museológico do Posto de Comando do MFA e Planetário Calouste Gulbenkian.

E não é somente o público adulto que se interessa por esta aventura, pois os mais pequenos não ficam esquecidos, há encenações de batalhas e demonstrações vivas, que tornam uma visita em aventura inesquecível.
O Ministério da Defesa é o detentor deste vasto património, material e imaterial, possui museus e coleções visitáveis repletas de curiosidades para todos os gostos.

O acervo não se esgota em espadas ou canhões. Estes espaços de interculturalidade são exemplos de vivências de grandes personagens, de combates e batalhas históricas, mas igualmente tempos de paz. Temos a cartografia, a pintura, a medalhística, os instrumentos náuticos e as cartas de marear e, claro, os símbolos que nos identificam enquanto País. Mas há também arquivos e bibliotecas, faróis e aquários, que nos relembram que somos um país de navegantes.

Surpreenda-se e vá descobrir o que não conhece, pois ficará rendido. A História de Portugal está entrelaçada com a história militar. Desde o tempo de Viriato, passando pelos Romanos, atravessando a Idade Média com a Expansão Ultramarina, a nossa vivência guerreira se fez sentir. Mas tanto há a lembrar, desde as Invasões Francesas até à atualidade, pois sempre houve uma valentia que se espelhou em memórias honradas e dignas de serem lembradas.

Publicidade

Fonte desta notícia: Projecto "Cultura, Ciência e Tecnologia na Imprensa", promovido pela Associação Portuguesa de Imprensa

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade