Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Teatro do Nordeste vai “instalar-se” nas aldeias de Vinhais

Durante os dias 20, 21 e 22 de outubro, a Filandorra vai percorrer cinco aldeias do Concelho, dinamizando o quotidiano rural e envolvendo diferentes gerações a partir da “ida” ao teatro, num regresso ao concelho que viu “nascer” esta produção criada em Residência Artística no Centro Cultural Condes de Vinhais em maio de 2021.

1.281

Publicidade

No âmbito da iniciativa “Há Teatro na aldeia” promovida pelo Município de Vinhais, a Filandorra – Teatro do Nordeste vai “instalar-se” nas aldeias deste concelho com o espetáculo “Diabos e Diabritos num saco de mafarricos” de Alexandre Parafita. Durante os dias 20, 21 e 22 de outubro, a Filandorra vai percorrer cinco aldeias do Concelho, dinamizando o quotidiano rural e envolvendo diferentes gerações a partir da “ida” ao teatro, num regresso ao concelho que viu “nascer” esta produção criada em Residência Artística no Centro Cultural Condes de Vinhais em maio de 2021.

Neste espectáculo a Filandorra “viaja” pelos contos, lendas e mitos da tradição oral transmontana recolhidos pelo escritor e etnógrafo Alexandre Parafita, alguns dos quais nas aldeias de Vinhais, nomeadamente o conto “o menino de vermelho” recolhido em Agrochão, aldeia que “abre” este ciclo de representações a 20 de outubro. Neste dia, pelas 11h00, a escola da aldeia vai ser o palco de encontro, convívio e partilha dos saberes intergeracionais, num espetáculo aberto a toda a população residente, desde crianças que frequentam a escola, pais, avós, utentes da IPSS local de apoio a idosos. No mesmo dia, mas pelas 15h30, os contos vão ser contados… cantados… e brincados na Casa do Povo da aldeia de Ervedosa. Sexta-feira, dia 21 de outubro, “Diabos e Diabritos…” viajam até às aldeias de Espinhoso (11h00) e Vila Boa (15h30). No sábado, dia 22, é a vez da população da aldeia de Rebordelo “reviver” os serões de outros tempos em que “contar e ouvir” os contos populares que, segundo Alexandre Parafita, «correram de geração em geração, viajaram de terra em terra, na voz de romeiros, jograis, corsários, meirinhos, amoladores e almocreves», alegravam toda a família, desde o mais velho ao mais novo.

Com encenação de David Carvalho, Diabos e Diabritos…. num saco de mafarricos conta com as interpretações de Anita Pizarro, Bibiana Mota, Débora Ribeiro, Helena Vital, Sofia Duarte, Bruno Teixeira, Luís Filipe, Paulo Magalhães e Silvano Magalhães, e na técnica com Pedro Carlos (Som) e Carlos Carvalho (Luz). As histórias preservadas em livro, e agora transpostas para o palco, foram enriquecidas com canções originais (letra e música) de Marília Miranda, que nos últimos anos tem colaborado com a Filandorra nos domínios da dramaturgia e criação musical. Esta produção integra o projeto “Reportórios, Territórios e Identidades” apoiado pela DGartes/Ministério da Cultura no âmbito do Programa de Apoio Sustentado – Teatro (Biénio 2021/2022).

Segundo os responsáveis da companhia de teatro ” a implementação da iniciativa “Há Teatro na Aldeia”, neste outono do nosso contentamento, consolida uma vez mais a confiança do Município de Vinhais no trabalho artístico e cultural desenvolvido pela Filandorra através do Protocolo de Cooperação que mantém há largos anos com esta estrutura profissional, agora reforçada com a implementação de Oficinas de Teatro e Artes Performativas pela Filandorra no âmbito do Projeto Cultura para Todos, que decorrem desde setembro e de que resultarão espetáculos/performance baseados nas tradições e hábitos culturais do património imaterial do concelho de Vinhais”.

Publicidade

Fonte desta notícia: Filandorra -Teatro do Nordeste

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade