Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Resultados globais dos exames finais nacionais do Ensino Secundário 2022

Foram registadas 267 108 inscrições na 1.ª fase dos exames finais nacionais, tendo sido realizadas 207 057 provas, o que corresponde a cerca de 77,5% das inscrições.

575

Publicidade

Os exames finais nacionais do ensino secundário foram realizados em 661 escolas em Portugal Continental e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, bem como nas escolas no estrangeiro com currículo português.

Foram registadas 267 108 inscrições na 1.ª fase dos exames finais nacionais, tendo sido realizadas 207 057 provas, o que corresponde a cerca de 77,5% das inscrições.

Entre as 24 disciplinas sujeitas a exame nacional, a que registou um maior número de provas realizadas foi a de Biologia e Geologia (702), com 39 138 provas, logo seguida por Português (639), com 35 159 provas, Matemática A (635), com 34 367 provas e Física e Química A (715), com 32 853 provas.

No processo de classificação das provas estiveram envolvidos 8134 docentes do ensino secundário, cujo trabalho permitiu o cumprimento dos prazos previstos para a afixação das pautas. Na totalidade das provas dos exames nacionais do ensino secundário estiveram ainda envolvidos cerca de 10.000 docentes vigilantes e pertencentes aos secretariados de exames das escolas, cujo papel e desempenho foi determinante para a realização desta 1.ª fase.

A avaliação da componente de produção e interação orais dos exames nacionais de línguas estrangeiras envolveu 9 279 avaliações da componente oral, nos seis exames nacionais de línguas estrangeiras, das quais 7 605 a Inglês (550), 873 a Espanhol (547), 277 a Espanhol (847), 321 a Francês (517), 199 na disciplina de Alemão (501) e 14 a Mandarim (848). Na avaliação da componente oral, estiveram envolvidos nos júris de classificação cerca de 2 800 professores de línguas estrangeiras, cujo profissionalismo permitiu levar a cabo um processo de grande
complexidade logística.

Uma vez mais, no ano letivo 2021/2022, os alunos realizaram os exames finais nacionais nas disciplinas que elegeram como provas de ingresso e, também, para melhoria da classificação final de disciplina apenas para efeitos de acesso ao ensino superior. Neste sentido, as médias das classificações dos vários exames são todas superiores a 100 pontos, à exceção do exame final nacional de Matemática B (735), cuja média foi de 89 pontos.

Tendo em consideração os exames finais nacionais com um número de alunos superior a 2500, aqueles que apresentaram uma classificação média mais elevada foram: o Inglês (550), com 148 pontos; o Desenho A, com 141 pontos; a História A (623) e a História da Cultura e das Artes (724), com 123 pontos.

  • Comparativamente aos resultados obtidos em 2021, neste ano, destaca-se o seguinte:
    A subida da classificação média, em 19 pontos, no exame final nacional de Física e Química A (715), em 13 pontos, no exame de Matemática A (635), e, em 9 pontos, no exame de Geografia A (719);
  • A diminuição da classificação média, em 20 pontos, no exame de Geometria Descritiva A (708) e, em 12 pontos, nos exames de Matemática B (735) e de Biologia e Geologia (702).

Salienta-se ainda que, no ano letivo 2021/2022, das 24 disciplinas sujeitas a exame final nacional, comparativamente ao ano letivo transato, 7 exames subiram a sua classificação média. Neste sentido, acresce à lista de exames supracitados o Desenho A (706), a História B (723), a Literatura Portuguesa (734) e o Espanhol (547). Nas restantes disciplinas a média de classificação desceu, mas quer as subidas quer as descidas não são, na sua maioria, significativas.

Publicidade

Fonte desta notícia: JNE/2022

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade