Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Projeto de biodiversidade na Maia com ‘DNA’ FCUP

Para o futuro, já estão traçados novos objetivos para o projeto Biodiversidade nos Espaços Verdes da Maia: criar uma base de dados da biodiversidade da Maia.

166

Publicidade

Logo

O número de espécies fotografadas e catalogadas já vai em 250 num projeto realizado por alunos do ensino secundário do Agrupamento de Escolas de Águas Santas, incentivado e coordenado por Pedro Pimenta, alumnus da FCUP. O projeto Biodiversidade nos Espaços Verdes da Maia vai de vento em popa na sensibilização dos jovens e não só.

“O objetivo principal é o aumento do conhecimento sobre a composição da biodiversidade no município da Maia e sensibilizar sobretudo o público estudantil para a sua valorização e conservação”, conta o professor, licenciado e mestre em Biologia pela FCUP.

O projeto começou em setembro de 2021 com o desafio lançado aos alunos do Curso de Ciências e Tecnologias, no âmbito da disciplina de Biologia e Geologia, de fotografarem e identificarem a biodiversidade existente no concelho. Desde então já foram identificadas e registadas espécies como a borboleta almirante-vermelho (Vanessa atalanta), o gaio (Garrulus glandarius), a salamandra-de-pintas-amarelas (Salamandra salamandra) e o fungo cauda-de-peru (Trametes versicolor).

Para divulgar e sensibilizar, decidiram criar uma conta no Instagram onde diariamente publicam uma foto acompanhada do nome científico da espécie, o nome comum, o local onde foi observada, a data e o autor da fotografia.
Mas o trabalho da equipa do projeto vai para além da Internet. Em fevereiro deste ano, submeteram um artigo sobre borboletas diurnas para a revista Ciência Elementar, que está em processo de revisão. E já há um novo artigo a ser preparado sobre as aves do município. Além disso, inauguraram um conjunto de exposições fotográficas junto da comunidade local.

“Este projeto desenvolve uma mudança de atitudes e de comportamentos face aos espaços verdes urbanos. Desenvolve um sentido de pertença relativamente à biodiversidade local, encorajando a sua defesa através da participação cívica ativa e informada”, conta Pedro Pimenta, que, no próximo ano letivo, irá orientar estudantes do Mestrado em Ensino da Biologia e Geologia da FCUP.

Para o futuro, já estão traçados novos objetivos para o projeto Biodiversidade nos Espaços Verdes da Maia: criar uma base de dados da biodiversidade da Maia.

Publicidade

Fonte desta notícia: Faculdade de Ciências da Universidade do Porto