Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Programa ‘Macedo Habitar’ disponibiliza 70 mil euros para apoio à habitação

Até ao próximo dia 3 de abril, os macedenses podem candidatar-se à segunda fase do programa “Macedo Habitar” e que estipula um total de 50 mil euros para a recuperação e reabilitação de habitações degradadas no concelho.

270

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Publicidade

O Município de Macedo de Cavaleiros destinou este ano uma verba de 70 mil euros para o programa “Macedo Habitar”, nas vertentes de apoio financeiro ao arrendamento social e de apoio à recuperação e reabilitação de habitações degradadas. O presidente da autarquia defende que a manutenção deste programa é o reforçar do dever da câmara de “ajudar os macedenses a acederem a uma habitação condigna para poderem viver”.

Até ao próximo dia 3 de abril, os macedenses podem candidatar-se à segunda fase do programa “Macedo Habitar” e que estipula um total de 50 mil euros para a recuperação e reabilitação de habitações degradadas no concelho. “A habitação é um bem essencial para o ser humano e as autarquias, numa democracia como a nossa, têm o especial dever de garantir que o maior número possível de munícipes tem acesso a uma casa com condições dignas para viver”, explica Benjamim Rodrigues.

Já para a vertente de apoio financeiro ao arrendamento social, cujas candidaturas terminaram no passado dia 15 de março, a Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros destinou uma verba de 20 mil euros. Este apoio financeiro será concedido de forma temporária e está limitado ao arrendamento para residência permanente do candidato ou do agregado familiar.

O programa “Macedo Habitar” está em vigor desde 2017 e, reforça o presidente da autarquia macedense, “é uma mais-valia para as famílias mais carenciadas do nosso concelho”. “Da atribuição de habitação social à recuperação de casas degradadas, tem sido feito um trabalho muito interessante no concelho e que, nesta fase pandémica urge apoiar”, acrescenta. Afinal, diz Benjamim Rodrigues, “ao apoiar esta vertente de reabilitação e recuperação de habitações, estamos também a dar um sinal positivo ao setor da construção civil no nosso concelho”.

As candidaturas à última fase deste programa, recorde-se, estarão em vigor até 3 de abril e os requerimentos podem ser obtidos na página oficial da autarquia ou nos serviços da Divisão de Conhecimento e Desenvolvimento Social.

Publicidade

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade