Categorias: Sociedade

Prémio AGIR vai distinguir a inovação social no combate à covid-19

A Redes Energéticas Nacionais (REN) abriu as candidaturas para a oitava edição do Prémio AGIR, este ano dedicado ao tema da Inovação Social na resposta à Covid-19. As entidades interessadas podem candidatar-se até ao próximo dia 30 de abril.

Desde março de 2020, a pandemia permitiu perceber alguns pontos fracos na resposta das cerca de 65.000 organizações da Economia Social existentes em Portugal – mas não é menos verdade que demonstrou, acima de tudo, a sua capacidade de adaptação e de superação. Essas novas soluções, que permitiram continuar a apoiar os seus beneficiários, precisam de ter o reconhecimento merecido, maior visibilidade e ser ainda mais acessíveis a um maior número de pessoas, de forma a que se possa potenciar os seus efeitos e aumentar o seu impacto social.

O Prémio AGIR enquadra-se na política de envolvimento com a Comunidade e Inovação Social da REN e visa apoiar projetos desenvolvidos por associações, empresas e organizações sem fins lucrativos que deem resposta a problemas sociais. Nas suas primeiras sete edições, o Prémio AGIR permitiu às organizações vencedoras beneficiar mais de 9.270 pessoas em todo o país. Até à edição de 2020, foram 655 as candidaturas recebidas.

Anualmente, o Prémio AGIR seleciona uma área de intervenção social e distingue três projetos. As últimas edições foram dedicadas aos temas “Promoção do emprego e integração profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade” (2020), “Promoção do Sucesso Escolar e Combate ao Abandono Escolar” (2019), “Preservação do património natural” (2018); “Inserção Laboral de Pessoas com Deficiência” (2017); “Combate à Pobreza e Exclusão Social” (2016); “Envelhecimento Ativo” (2015) e “Criação de Emprego” (2014).

As organizações que pretendam concorrer à edição deste ano podem apresentar a sua candidatura de 1 de março a 30 de abril. A divulgação dos projetos selecionados será feita em setembro de 2020. A seleção dos três melhores projetos é da responsabilidade da REN, em parceria com a Stone Soup Consulting, que acompanha e monitoriza a utilização dos fundos doados a cada projeto apoiado, efetuando também a avaliação do impacto social real do apoio da REN a cada projeto. Ao primeiro classificado é atribuído um valor monetário de trinta mil euros, ao segundo quinze mil euros e ao terceiro cinco mil euros.

Comentar