Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Mirandela coloca em marcha Plano de Controlo da Lagarta-do-pinheiro no concelho

Consoante a janela temporal do ciclo de vida desta praga, que assola várias regiões, o controlo desta espécie, principalmente em espaços urbanos, exige ações planeadas e monitorizadas, delineando-se a solução mais adequada para o local afetado e tendo em conta o estádio de desenvolvimento da praga e a biologia da espécie

339

Publicidade

Habitualmente avistadas em pinheiros e áreas circundantes, a lagarta do pinheiro, também conhecida como processionária, tem efeitos nocivos nos humanos e nos animais domésticos. Os seus pelos urticantes são responsáveis por irritações cutâneas, oculares e das vias respiratórias.

A invasão por esta espécie varia de intensidade conforme o estado do tempo (variações de temperatura e insolação) e a presença de inimigos naturais (fungos, bactérias, aves, etc.). No que respeita à saúde pública, a processionária pode constituir um problema grave, principalmente em anos propícios ao desenvolvimento de colónias, em locais habitados ou frequentados pela população.

Consoante a janela temporal do ciclo de vida desta praga, que assola várias regiões, o controlo desta espécie, principalmente em espaços urbanos, exige ações planeadas e monitorizadas, delineando-se a solução mais adequada para o local afetado e tendo em conta o estádio de desenvolvimento da praga e a biologia da espécie.

A equipa de Sapadores Florestais do Município, que dispõe de equipamentos adequados e recursos humanos com formação específica para intervenções desta natureza, terá a cargo a remoção de ramos onde se identifica a praga, eliminando os ninhos através da queima dos mesmos.

Sendo um problema que afeta todo o concelho, a autarquia, em articulação com as juntas de freguesia, promoverá um levantamento e respetivas intervenções junto das árvores infetadas.

A identificação de casos em espaços públicos poderá ser feita por qualquer cidadão através do contacto com o Serviço Municipal de Proteção Civil / Gabinete Técnico Florestal, ou com o Serviço Municipal de Veterinária, pelo telefone 278 200 200.

Publicidade

Fonte desta notícia: Município de Mirandela

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade