Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Miranda do Douro passou a integrar o Corredor Biológico Mundial

O percurso do Corredor Biológico Mundial terá, em Miranda do Douro, mais um dos seus pontos estratégicos, sendo uma oportunidade para participar em conferências, congressos ou eventos mundiais em que está integrado este projeto de proteção dos ecossistemas a nível planetário.

2.096

Publicidade

O município de Miranda do Douro formalizou a adesão ao Corredor Biológico Mundial, projeto internacional promovido pela ONG – A Forest for Planet Earth, que visa salvaguardar habitats de elevado valor natural e preservar a biodiversidade.

Segundo uma nota de imprensa distribuída à comunicação social “o município de Miranda do Douro foi selecionado graças ao seu elevado valor ecológico e ao compromisso com a preservação do meio ambiente”. De igual modo é salientado “o empenho” do Sr. presidente da autarquia, Artur Nunes e do presidente do Comité Internacional do Corredor Biológico Mundial, Jorge Extramiana Salillas.

O percurso do Corredor Biológico Mundial terá, em Miranda do Douro, mais um dos seus pontos estratégicos, sendo uma oportunidade para participar em conferências, congressos ou eventos mundiais em que está integrado este projeto de proteção dos ecossistemas a nível planetário.

O Comité Internacional do Corredor Biológico Mundial, que o Município também passa a integrar, proporcionará a criação de encontros, sinergias, alianças e o debate de ideias entre diversos países e regiões, contribuindo para que se possam desenvolver avanços significativos na expansão do Corredor Biológico Mundial.

A iniciativa, em colaboração com Universidades de quatro países, tenciona ser um programa internacional em benefício de todos, com a criação de uma área contínua que se pretende constituir como um cinturão ecológico, ao redor do planeta, com infraestrutura verde e azul, que unirá países, pessoas e espaços naturais. Neste contexto, é importante salientar a necessidade de preservação do solo e dos diferentes habitats como parte do património natural, tendo em consideração o património geológico e a sua relevância ecológica, tanto para a sobrevivência da flora quanto da fauna. Propõe-se reduzir as pressões exercidas sobre muitos sistemas naturais, garantindo a sobrevivência das espécies e a manutenção da biodiversidade, criando um trajeto contínuo de cooperação mundial.

A adesão a esta iniciativa não acarreta nenhum custo para o município nem afetará os planos de gestão e de ordenamento, que continuarão a depender das autoridades competentes, em cada situação, em conformidade com os respetivos regulamentos.

Publicidade

Fonte desta notícia: Município de Miranda do Douro

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade