Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Mais dois projectos especiais do Teatro de Vila Real em Dezembro

O Coro de Câmara D’Ouro formou-se em Vila Real em 2014 e tem já no seu currículo um conjunto assinalável de apresentações. Conta na sua base com 14 elementos e é dirigido pelo maestro José Gonçalves.

445

Publicidade

Em Dezembro há mais dois projectos especiais promovidos pelo Teatro de Vila Real.

A artista Surma foi convidada para para uma Conversa de Bastidores (com a vila-realense Sofia Rocha e Silva) e foi desafiada, no âmbito de uma pequena residência artística em Vila Real, a criar um tema inspirado nas gentes, na paisagem e no legado transmontano.

Na semana seguinte, é a vez de o compositor alemão Sven Helbig vir a Vila Real para uma residência artística com o Coro de Câmara D’Ouro, que já anda a ensaiar para este concerto coral com música electrónica onde será interpretado o álbum “I Eat The Sun And Drink The Rain”. Os bilhetes para estas duas maravilhas já estão à venda no Teatro e na Ticketline.

A vontade de explorar novos caminhos e novas leituras tem sido uma constante na obra de Surma e, para este momento específico, prepara-se numa residência de três dias no território de Vila Real para criar um tema inspirado nas gentes, na paisagem e no legado transmontano, que integrará o alinhamento do concerto.

A carreira de Surma tem emitido uma luz especial e rara, traduzida pela adição de prémios e impressionantes conquistas que nos explicam o alcance da sua música, das suas ideias e da sua personalidade.

‘Antwerpen’, editado em 2017, fê-la percorrer o mundo, actuando mais de 250 vezes por uma quinzena de países, entre pequenos clubes a imponentes festivais ao ar livre. Ao longo deste extenso passeio que fez para mostrar o seu disco de estreia, Surma acumulou ainda inúmeros projetos paralelos — bandas sonoras, sonoplastia, música para teatro e dança, colaborações com outros músicos —, mostrando a sua energia, mas também a sua generosidade e vontade de ir além, fazendo mais e, sobretudo, diferente.

O novo disco ‘alla’ é um desafio sem barreiras, onde se rodeia de várias participações de variados géneros musicais para adensar e consolidar ainda mais o seu universo tão próprio.

Sven Helbig Foto Claudia Weingart
Sven Helbig. Foto: Claudia Weingart

Depois da apresentação de ‘Pocket Symphonies’ no Teatro de Vila Real em 2016, Sven Helbig regressa com a sua obra coral, num espectáculo de forte impacto visual com o Coro de Câmara D’Ouro.

‘I Eat The Sun And Drink The Rain’ é uma obra para coro, vídeo e eletrónica ao vivo. Sven Helbig criou um álbum conceptual no qual, ao longo de dez peças, tece uma narrativa que aborda questões urgentes dos dias atuais. O trabalho poderosamente ressonante sustém delicadas passagens corais por cima de sintetizadores pulsantes. Acordes sublimes a cappella propagam-se sobre sons criados digitalmente, num perfeito equilíbrio entre coro e eletrónica.

As imagens vídeo foram concebidas pelo artista islandês Máni Sigfussen, que fez trabalhos para imagens para Ólafur Arnalds e Kiasmos. Os figurinos do coro foram desenhados pela artista de moda berlinense Esther Perbandt.

Sven Helbig é um compositor, maestro e produtor musical alemão com obra publicada em etiquetas de referência como a Deutsche Grammophon, Neue Meister ou a Sony Classical. A sua visão modernista da música clássica tem-no levado a cruzar trabalhos corais e orquestrais com a mais moderna eletrónica, originalidade que lhe tem valido muitos aplausos por parte da crítica especializada. Helbig foi, por exemplo, autor dos arranjos para coros e orquestra em peças de dois dos álbuns do grupo de rock Rammstein e trabalhou também com os Pet Shop Boys, Snoop Dogg, entre outros.

O Coro de Câmara D’Ouro formou-se em Vila Real em 2014 e tem já no seu currículo um conjunto assinalável de apresentações. Conta na sua base com 14 elementos e é dirigido pelo maestro José Gonçalves.

Publicidade

Fonte desta notícia: Teatro de Vila Real