Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Mais de duas dezenas de corações cheios de Esperança em Bragança

Nesta segunda-feira, 15 de março, a ACISB, as IPSS’s, a União de Freguesias de Sé, Santa Maria e Meixedo e ainda o Agrupamento de Escolas Miguel Torga, através do núcleo de Educação Moral e Religiosa, colocaram no gradeamento do Hospital de Bragança mais de duas dezenas de corações coloridos, que dizem que “Juntos Somos Mais Fortes”.

1.610

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Publicidade

“Todas as IPSS´s da cidade de Bragança e várias de outros concelhos, responderam positivamente a esta merecida homenagem a todos quantos têm lutado na linha da frente no combate à COVID-19”, referiu Paula Pimentel, presidente da União das Instituições Particulares de Solidariedade Social, que se juntou à Associação Comercial, Industrial e Serviços de Bragança (ACISB) nesta campanha tão simbólica.

Nesta segunda-feira, 15 de março, a ACISB, as IPSS’s, a União de Freguesias de Sé, Santa Maria e Meixedo e ainda o Agrupamento de Escolas Miguel Torga, através do núcleo de Educação Moral e Religiosa, colocaram no gradeamento do Hospital de Bragança mais de duas dezenas de corações coloridos, que dizem que “Juntos Somos Mais Fortes”, com o intuito de agradecer mas também de fertilizar o ânimo e a esperança de todos aqueles profissionais que, apesar do cansaço, em muitos casos da exaustão, continuam determinados a fazer frente a esta pandemia. “Estes sinais também servem para as pessoas terem consciência dos tempos difíceis que vivemos em janeiro e fevereiro”, refere a presidente da ACISB, reforçando que servem de “alerta para os comportamentos de risco” para evitar que o cenário se repita.

O presidente da Unidade Local de Saúde do Nordeste, Carlos Vaz, acompanhou grato esta manifestação da sociedade civil, reconhecendo a importância de dar ânimo aos profissionais da saúde que atravessaram um período de exaustão, mas que nunca desistiram de cuidar de salvar vidas.

O cenário está agora mais calmo, não há doentes nos Cuidados Intensivos desta unidade hospitalar com COVID-19 mas o espectro mantém-se. “Há notícias de uma quarta vaga já em outros países da Europa, enquanto a população não estiver toda vacinada seguimos com a ameaça presente, é importante evitar comportamentos de risco”, insiste.

A União de Freguesias de Sé, Santa Maria e Meixedo transformou o “coração” numa almofada alertando que “os profissionais de saúde estão a necessitar descanso e nada melhor do que uma almofada de comportamentos de todos os cidadãos que ajudem a minimizar esta pandemia”, explicou o presidente Telmo Afonso.

Recordamos que esta campanha da ACISB começou precisamente pelos comerciantes, que nas respetivas montras colocaram cartazes de solidariedade e apelar a união e que, incrivelmente, envolveu mais de 170 estabelecimentos comerciais de toda a cidade.

Esta iniciativa teve como objetivo sensibilizar, unir, fomentar o ânimo combater o cansaço com a esperança, mas, recordamos que a ACISB se tem mantido sempre pró-ativa desde o início da pandemia. Para além das iniciativas de caracter simbólico também já se envolver em campanhas de recolha de fundos, tendo protagonizado a angariação de fundos para a aquisição de um ventilador que foi entregue ao Hospital de Bragança e que ajudou a salvar vidas nesta que foi a terceira vaga da pandemia. Também angariou, com a venda de t-shirts, cerca de 5 mil euros, que distribui pelas UIPSSDB e pelos Bombeiros de Bragança para aquisição de material de proteção individual.

Os comerciantes têm sido fortemente fustigados por esta pandemia, os negócios estão de rastos, as ajudas são escassas e chegam tardiamente, ainda assim, estão sempre na primeira linha para ajudar a comunidade e esta atitude temos de a sublinhar”, remata Anabela Anjos, Secretária Geral da ACISB.

Publicidade

Fonte desta notícia: Nota de Imprensa ACISB (Associação Comercial, Industrial e Serviços de Bragança)

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade