Informativo Digital

Macedo de Cavaleiros combate vespa da galha do castanheiro com meia centena de largadas

A vespa das galhas do castanheiro ataca as árvores, induzindo a formação de galhas nos gomos e folhas do castanheiro, provocando a redução do crescimento dos ramos e a frutificação e podendo diminuir drasticamente a produção e a qualidade da castanha levando ao declínio e mesmo à morte dos castanheiros.

327

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Publicidade

A Comissão Local de Acompanhamento da vespa das galhas do castanheiro do Município de Macedo de Cavaleiros já efetuou mais de 50 largadas do parasitoide Torymus sinensis como forma de combater biologicamente esta praga, que afeta mais de metade da área de souto do concelho. Este ano a autarquia já investiu quase 13 mil euros nesta luta biológica.

Temos vindo a desenvolver um trabalho de identificação, quantificação e georreferenciação dos vários locais com presença da vespa no concelho de Macedo de Cavaleiros, para determinar a área afetada e delinear estratégias de ação”, explica o vereador Rui Vilarinho. Desta análise, resultante da parceria com a Cooperativa Soutos os Cavaleiros, “foi proposto um plano de luta biológica com largadas do parasitoide Torymus sinensis para os próximos três anos, tendo por base a presença da vespa no terreno, o grau de intensidade de ataque e as normas definidas em orientação técnica”.

A vespa das galhas do castanheiro ataca as árvores, induzindo a formação de galhas nos gomos e folhas do castanheiro, provocando a redução do crescimento dos ramos e a frutificação e podendo diminuir drasticamente a produção e a qualidade da castanha levando ao declínio e mesmo à morte dos castanheiros.

Rui Vilarinho explica que, considerando que o nível atual de infestação é considerado grave (3 a 4 árvores com 51-80% de gomos atacados), foi definida a realização de uma largada por cada 25 hectares de souto. Com uma área de souto no concelho que ronda os 3 260,17 hectares, e atendendo às limitações impostas pela área de abrangência de cada largada, “a Cooperativa Souto os Cavaleiros irá realizar entre 2020 e 2022 um total de 133 largadas, das quais 53 já foram efetuadas este ano”.

Atendendo ao número máximo de largadas permitidas pela Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) foram realizadas 53 largadas entre abril e maio, o que representa um investimento de 12 640,50 euros”, sustenta Rui Vilarinho. O vereador adianta que foi submetida uma candidatura ao Programa de Desenvolvimento Rural de Portugal (PDR 2020 – Medida 8.1.3. – Prevenção da Floresta Contra Agentes Bióticos e Abióticos), cuja aprovação pode representar uma comparticipação do investimento em 90%.

As largadas são efetuadas pela Cooperativa Souto os Cavaleiros, a única entidade responsável e acreditada para a realização de largadas. De qualquer modo, acrescenta o vereador macedense, “a autarquia e a cooperativa continuam atentos ao evoluir da doença no nosso concelho, para reavaliar a estratégia caso se justifique”.

Publicidade

Fonte desta notícia: Nota de Imprensa CM Macedo de Cavaleiros

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade