Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Jorge Braga e Dulce Atilano expõem em Alfândega da Fé

Exposição "Do limite à fronteira" conjuga escultura e pintura e vai estar patente na Galeria Manuel Cunha de 5 de janeiro a 21 de abril de 2024.

436

Publicidade

O principal espaço expositivo de Alfândega da Fé, na Casa da Cultura Mestre José Rodrigues, vai receber a exposição coletiva de Jorge Braga e Dulce Atilano “Do limite à fronteira”. Uma mostra de escultura e pintura, que diverge na técnica, mas que se conjuga nas reflexões comuns, presentes na conceção da obra e na sua intencionalidade para com o público.

A mostra reúne 16 pinturas e 11 esculturas, num cruzamento oblíquo de intencionalidades abstratas, onde a pluralidade se pode encontrar com a cor e o objeto e unificar o racional e o sensorial destes dois artistas.

A abertura ao público realiza-se no dia 5 de janeiro de 2024, às 17h30. A entrada é livre.

Sobre Jorge Braga
Jorge Braga nasceu na freguesia de Vila Chã, no concelho de Esposende, uma pequena comunidade no norte de Portugal. Iniciou os seus estudos primários na escola da sua freguesia, e dividiu os estudos secundários entre Esposende e Barcelos. Teve uma passagem pela Força Aérea, onde colaborou com artigos para as revistas e jornais da instituição, e onde recebeu um louvor pelos seus serviços enquanto militar.

De volta à vida civil, começou a trabalhar na área da contabilidade, onde se mantém até à data como Contabilista Certificado, e regressou aos estudos sendo licenciado em Engenharia e Gestão Industrial. Foi docente no ensino Secundário entre os anos 2000 e 2002. Tirou o curso de Formação de Formadores, dando formação nas áreas de contabilidade e de engenharia. Frequentou o curso modular de Moldes para Escultura na FBAUP (Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto), que concluiu com aproveitamento.

Cedo se destacou nas artes, nomeadamente na literatura, vencendo vários prémios e tendo várias menções honrosas. Tem sete livros publicados, desde a poesia, a crónica e o conto infantojuvenil. Está representado em várias antologias de poesia.

Nas artes plásticas destacou-se em vários eventos e exposições:
– I Bienal de Artes de Gaia; II Bienal Internacional de Artes de Gaia; III Bienal Internacional de artes de Gaia; Art Shopping no Carroussel du Louvre em Paris (medalha de ouro em escultura pela Artcom); Olímpia de Londres no Reino Unido; Consulado Geral do Equador em Milão; ARTIS em Seia; Exposição Anual dos Artistas de Gaia; I Expoética de Braga; Convento São Domingos em Viana do Castelo; “El Outro”, em Mourille, Espanha; Galeria de La Pigna em Roma, Itália; Fundação Bienal de Cerveira, artistas do Alto Minho e Galiza; “Génesis”, sala gótica de Barcelos; Melide, EspanhaArt; Centro de Informação Turístico de Esposende; Galeria Vieira Portuense; Anual dos Artistas de Gaia; Galeria REM no Porto;Galeria Matrizarte em V.N. de Famalicão; Teatro dos Sonhos em Vizela; Xuntos pelas artes na Corunha; Galeria Geraldes da Silva; V Expoética, Esposende; Casa Branca de Gramido, Gondomar; Art Bird, Palácio Vila Flôr em Guimarães; Vila Garcia de Arousa, Espanha; Reitoria da Universidade do Minho, Braga.

– 3º classificado no concurso internacional da Quinta da Boeira em V.N. Gaia.
– Bienal Internacional de Artes de Cerveira.
– Prémio de escultura Zulmiro de Carvalho/Câmara Municipal de Gondomar, inserido na IV Bienal Internacional de Artes de Gaia.Tem várias obras em coleções particulares, e em espaços públicos.

Sobre Dulce Atilano

Dulce Atilano nasceu a 15 de março de 1971 em Vizela, uma pequena cidade portuguesa que pertence ao distrito de Braga e sub-região do Ave. Atualmente está a residir em Esposende. Com um gosto especial pela pintura e artes plásticas em geral, frequenta com alguma regularidade exposições de arte em Portugal e no estrangeiro, visitando nomeadamente alguns dos principais Museus de Arte de Roma, Paris e Barcelona.

Depois de beber a arte de tantos artistas e revelando sensibilidade artística e gosto pelas artes, como autodidata encarou o desafio de sair da sua zona de conforto em busca de inspiração e desenvolver uma visão mais criativa de situações e colocá-las em prática de forma sensível ou informal, as cores e as formas são criadas livremente, enquadrando-se assim na pintura abstrata.

Tendo alguns dos seus trabalhos em coleções particulares. Participou como coordenadora na organização de vários eventos Culturais e Artísticos nomeadamente:
Tertúlia “A Arte das Palavras a Cores” – Espaço Cultural Alquimik21, Braga 2016
Tertúlia “Conversas com Sentido” – Fundação Narciso Ferreira, Riba D´Ave 2016
Tertúlia/Exposição “Contrastes” – Espaço Cultural Alquimik21”, Braga 2016
Apresentação do livro “Inquietação no Olhar” – Mosteiro de Tibães, Braga 2016
Tertúlia “Um Outro Pulsar” – Galeria Matriz Arte, Vila Nova de Famalicão 2017
“Um Outro Olhar Pela Escrita” – Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, Braga 2017
Apresentação do livro “Inquietação no Olhar” – Livraria Centésima Página, Braga 2017
Apresentação do livro/Exposição “Na Pata do cavalo há sete abismos” – Galeria REM espaço arte, Porto 2017
Apresentação do livro “Enigmas Evocação e Sonhos” – Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, Braga 2018
Tertúlia/Exposição “Um Rio de muitas águas” – Galeria Vieira Portuense, Porto 2018

Participou com uma obra na IV Bienal Internacional de Artes de Gaia 2021 – Polo de Esposende,
Participou na Exposição coletiva pela Paz e Solidariedade 2022 no Centro Cultural do Alto
Minho – Galeria Barca D´ARTES, Viana do Castelo
Participou com uma obra na Exposição “50 anos Abril” no Centro Cultural do Alto Minho –
Galeria Barca D´ARTES, Viana do Castelo 2023.

Publicidade

Fonte desta notícia: Município de Alfândega da Fé