Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Infraestruturas de Portugal diz que reação do seu Vice-presidente foi sobrevalorizada e mal interpretada

Segundo esta entidade pública está já em fase de preparação “a contratação do estudo para a análise técnica e ambiental da reabilitação e reabertura do troço Pocinho / Barca d’Alva da Linha do Douro”.

378

Numa reação à nota de imprensa difundida hoje pela Associação Vale d’Ouro, a Infraestruturas de Portugal disse que a forma como o Eng. Carlos Fernandes reagiu a um post publicado em rede social foi sobrevalorizada e mal interpretada pelos responsáveis daquela associação duriense.

A Associação Vale d’Ouro  informou hoje os meios de comunicação social que pediu esclarecimentos aos Ministérios das Infraestruturas e Habitação e da Coesão Territorial sobre uma recente manifestação de apoio do atual Vice-Presidente da Infraestruturas de Portugal, Carlos Fernandes,  a um texto sobre a Linha do Douro em que se considera existir um excesso de “tempo de antena” dado a uma linha cujo “traçado dessa ligação torna muito difícil criar serviços que sejam atrativos para lá do nicho do turismo ferroviário”. Esta manifestação de apoio ocorreu numa rede social de natureza profissional onde o Vice-Presidente da Infraestruturas de Portugal se apresenta como “Deputy CEO at Infraestruturas de Portugal”.

Também no dia de hoje, ao início da tarde, em resposta à  Associação Vale d’Ouro, a Infraestruturas de Portugal (IP) esclareceu “que está totalmente empenhada em contribuir para o cumprimento dos objetivos definidos no protocolo de cooperação que assinou, juntamente com as Câmaras Municipais de Peso da Régua e Vila Nova de Foz Côa, com a CCDR do Norte e com o Turismo do Porto e Norte de Portugal, no dia 21 de maio”.

Como é do conhecimento público a IP integra o Grupo de Trabalho para a reabertura da Linha do Douro entre Pocinho e Barca d’Alva, enquanto gestora da Rede Ferroviária Nacional e, principalmente, “como entidade dotada de vasto conhecimento técnico e recursos humanos altamente especializados, que colocará ao serviço do Grupo de Trabalho”, disse fonte da IP.

Segundo esta entidade pública está já em fase de preparação “a contratação do estudo para a análise técnica e ambiental da reabilitação e reabertura do troço Pocinho / Barca d’Alva da Linha do Douro”.

Relativamente às referências que constam da Nota à Comunicação Social que a Associação Vale D’Ouro emitiu, a IP pretende clarificar que “a interpelação da Associação se refere a uma mera reação do Eng. Carlos Fernandes a um post em rede social, cujo autor é externo à IP, a qual foi sobrevalorizada e mal interpretada. O aludido apoio apenas procurou sinalizar a importância que também se atribui à ligação ferroviária entre o Algarve e o sul de Espanha, pelo que, em momento algum se pretendeu desvalorizar a Linha do Douro”, enfatizou hoje fonte da Infraestruturas de Portugal.

Publicidade

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade