Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Igreja da antiga Sé acolhe exposição de presépios

A exposição conta com algumas peças do séc. XVIII, pertencentes ao acervo da igreja, com presépios elaborados pelas crianças dos agrupamentos das escolas e pelos utentes de instituições sociais. As famílias das diferentes comunidades da Paróquia também se quiseram associar e vão ceder alguns dos seus presépios.

169

Publicidade

A igreja da antiga Sé, em Bragança, vai acolher uma exposição de presépios. A iniciativa pretende assinalar os 800 anos da criação do Presépio de S. Francisco de Assis.

«O Presépio, tal como o conhecemos, completa 800 anos neste Natal. Foi S. Francisco, em Grecco, na Itália, que deu o mote para a primeira encenação do nascimento de Jesus. Para lembrar este momento da história, e valorizar o importante património sacro, quisemos promover esta exposição», salienta o Padre José Bento Soares, Pároco da Paróquia de S. João Baptista.

A inauguração da exposição está marcada para o dia 7 de dezembro, às 18h15, com a alocução «Vamos a Belém ver o que aconteceu» pela Ir. Maria José Oliveira, da congregação das Servas Franciscanas Reparadoras de Jesus Sacramentado.

Segue-se a apresentação de um quadro sobre a Natividade, pintado a óleo, restaurado com verbas da exposição temporária de Verão “Jesuítas na Sé”.

A exposição conta com algumas peças do séc. XVIII, pertencentes ao acervo da igreja, com presépios elaborados pelas crianças dos agrupamentos das escolas e pelos utentes de instituições sociais. As famílias das diferentes comunidades da Paróquia também se quiseram associar e vão ceder alguns dos seus presépios.

Promovida pela Paróquia de S. João Batista, em colaboração com a União de Freguesias de Sé, Santa Maria e Meixedo, a exposição estará aberta ao público entre 7 de dezembro de 2023 e 6 de janeiro de 2024. Será dinamizada pela Academia do Centro Social Paroquial dos Santos Mártires, uma unidade de apoio à pessoa portadora de deficiência e incapacidade.

Os visitantes são convidados a contribuir com um valor simbólico (€1) que se destina, na íntegra, à recuperação do património daquele templo.

Publicidade

Fonte desta notícia: Diocese de Bragança-Miranda