Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Macedo de Cavaleiros: Fins-de-semana gastronómicos têm Azedo como estrela

Fins-de-semana gastronómicos continuam no concelho transmontano. E a “estrela” que se segue é um “parente” XL e mais ácido da alheira, em destaque de 8 a 10 de dezembro nos restaurantes aderentes à iniciativa

695

Publicidade

Para os que perderam a Feira da Castanha de Corujas, e, também, para aqueles que não conseguiram agenda – ou disponibilidade digestiva – para provar a miríade de cogumelos disponíveis nas Jornadas Micológicas de Vale Pradinhos, pode ser que à terceira seja de vez, pois que no programa dos Fins-de-semana Gastronómicos de Macedo de Cavaleiros segue-se um dos produtos do fumeiro transmontano cada vez mais em destaque na cozinha regional e com potencial de expansão culinária: o Azedo.

A especialidade, semelhante à alheira (leva a massa desta, porém sem alho), mas maior e mais ácida no paladar, estará em destaque de 8 a 10 de dezembro em vários restaurantes aderentes aos Fins-de-semana Gastronómicos, promovidos pelo Município de Macedo de Cavaleiros e o Geopark Terras de Cavaleiros, de novembro a março de 2024.

Habitualmente servido com grelos de nabiça ou espigos de couve, o Azedo é um enchido fumado que está pouco a pouco a sair das mesas exclusivamente transmontanas para agradar às bocas de cada vez mais pessoas. Utiliza a tripa do intestino grosso do porco para receber, além de pão regional de trigo, carne da cabeça, barriga e entremeada de porco, azeite de Trás-os-Montes.

A especialidade ostenta o selo GeoFood, criado para vincular alimentação e território, sustentabilidade, sabor e turismo, e, assim, aproximar o consumidor da natureza, dos produtos locais e da sua origem e cultura.

Mas janeiro de 2024 não ficará atrás de dezembro no que aos prazeres gastronómicos diz respeito. De 12 a 14 do mês que dá arranque ao novo ano será a vez da Rota das Casulas e do Butelo, prato que combina um enchido feito com ossinhos do espinhaço e costela de porco com um feijão seco com casca que, depois de demolhado durante várias horas, é cozido juntamente com o enchido.

Já de 25 a 28 de janeiro será a vez do javali ser chamado à mesa, carne que unirá várias confeções típicas da região, com os restaurantes de Macedo de Cavaleiros a alavancar a Rota do Javali, caça nobre da região e do concelho, que o promove em conjunto com a Confraria do Javali.

Em fevereiro, o pretexto será diferente. Como que chamados pelos chocalhos dos Caretos de Podence, que pintam o Entrudo Chocalheiro, o Festival do Grelo assoma a Macedo de Cavaleiros, de 10 a 13 de fevereiro. Como é apanágio de um dos Carnavais mais genuínos de Portugal, a folia será mais do que muita e pedirá retemperamento de energias e alegrias… à mesa, claro. Com as delícias da cozinha tradicional transmontana.

Para encerrar o roteiro pelos produtos endógenos, março finalizará com o fim-de-semana do Cabrito à Mesa, de 29 a 31 de março. Mais uma oportunidade, como explica Benjamim Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros, para “criar aqui dinâmicas de turismo gastronómico, que representem uma mais-valia para os empresários do concelho”.

“Temos vindo a notar, cada vez mais, que muitas pessoas já vêm de longe, em algumas ocasiões em autocarros, incluindo de Espanha, para provar o que de melhor se faz na nossa cozinha”, conclui o presidente da autarquia.

Publicidade

Fonte desta notícia: Município de Macedo de Cavaleiros