Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Filandorra estreia nova produção para público infantojuvenil

A nova estreia da Companhia acontece em Vinhais no âmbito de uma parceria de mais de 20 anos com o Município.

655

Publicidade

Hoje, dia em que se assinala por todo o mundo o Dia do Duende, a Filandorra anuncia a nova produção para o público infantojuvenil, que terá ESTREIA MUNDIAL em cúmulo da Residência Artística no Centro Cultural Solar Condes de Vinhais no próximo dia 21 de maio, Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento.

Diabos e Diabritos…num saco de Mafarricos, com base na obra de Alexandre Parafita para os mais novos é o novo projeto teatral da Companhia que, depois de um ano sem espetáculos face ao contexto pandémico vivido no país, regressa agora aos palcos da região com um espetáculo que pretende dar a conhecer aos mais novos o universo fantástico e encantatório da tradição oral, com os seus contos, lendas e mitos, de forma a estimular a curiosidade pelos saberes intergeracionais, descobrir as mensagens culturais das narrações e promover o gosto pela leitura das obras em questão. Dos contos selecionados para o espetáculo, destacamos os contos de abertura e fecho recolhidos por Alexandre Parafita no concelho de Vinhais, nomeadamente “O Diabo e os garotos” e “O Menino de Vermelho”.

Para o escritor e etnógrafo, que tem colaborado regularmente com a Companhia e com relevantes trabalhos publicados nestes domínios, na abordagem feita à sua obra pela Filandorra «temos o imaginário popular no auge da sua vibração, o que para o público infantil é deveras fascinante. As crianças apreciam o fantástico e o maravilhoso nas histórias com os seus estereótipos, sejam eles gigantes, ogres estúpidos, diabos, trasgos ou duendes. Tenho percebido, pela minha experiência, como o público infantil se encanta com as narrativas onde impera a perspetiva mitológica do herói, envolvido num jogo permanente de intimidações, que vai superando em actos sucessivos de transgressão responsável. A brincar, a brincar, contam-se boas histórias e a nossa cultura passa por aí».​

A nova estreia da Companhia acontece em Vinhais no âmbito de uma parceria de mais de 20 anos com o Município, que Luís dos Santos Fernandes, Presidente da Câmara Municipal de Vinhais, considera como «muito importante para a dinamização cultural e para a formação de públicos a nível local», e constitui «um esforço para a democratização da cultura». A deslocalização de ações que normalmente acontecem nos grandes centros do país, para zonas do interior é, segundo o Presidente da Câmara, «uma forma de chamar à atenção para estes territórios que se debatem ainda pela igualdade no acesso à cultura e à formação artística, bem como a outros bens que promovam o desenvolvimento integral das crianças e jovens que aqui residem».

Com encenação de David Carvalho, Diabos e Diabritos…. num saco de mafarricos conta com as interpretações de Anita Pizarro, Bibiana Mota, Débora Ribeiro, Helena Vital, Sofia Duarte, Bruno Teixeira, Luís Filipe, Rui Moura e Silvano Magalhães, e na técnica com Pedro Carlos (Som) e Carlos Carvalho (Luz). As histórias preservadas em livro, e agora transpostas para o palco, foram enriquecidas com canções originais (letra e música) de Marília Miranda, que nos últimos anos tem colaborado com a Filandorra nos domínios da dramaturgia e criação musical.

Diabos e Diabritos…num saco de Mafarricos é a primeira produção do projeto “Reportórios, Territórios e Identidades” que a Filandorra candidatou ao Programa de Apoio Sustentado às Artes – Teatro da DGartes/Ministério da Cultura para o biénio 2021-2022 e que recentemente obteve financiamento no âmbito das Medidas de Apoio às Artes anunciadas pela Ministra da Cultura em janeiro. O projeto “Reportórios, Territórios e Identidades” contempla ainda estreias por toda a região, nomeadamente “O Velho da Horta” de Gil Vicente em Vila Flor (julho’2021), “O Barrete de Guizos” de Pirandello em Lamego (outubro’2021), “O Cerejal” de Tchekhov em Alfândega da Fé (março’2022), “Sonho de uma noite de verão” de Shakespeare em Vila Real (junho’2022), e encerra com “Dentes de Rato” de Agustina Bessa Luís, em Vila Meã-Amarante no Centenário do nascimento da escritora (outubro’2022).

Publicidade

Fonte desta notícia: Nota de Imprensa Filandorra

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade