Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Encerrou a Mostra de Teatro do Douro no Peso da Régua

Sala praticamente cheia para receber o último espetáculo da edição de 2022. A Mostra de Teatro do Douro regressou aos palcos depois de dois anos de interregno. Numa edição que se perspetivava poder ficar aquém de outros anos, o público acabou por marcar grande presença nos espetáculos, superando as expectativas.

1.037

Publicidade

Terminou este sábado no Audir, no Peso da Régua, a XII Mostra de Teatro do Douro com a peça “Precisa-se de um Cadáver” do Teatraço com a sala praticamente lotada depois de sete semanas a percorrer o vale do Douro.

Foi com um grande espetáculo proporcionado pela companhia de Tabuaço, o Teatraço, que chegou ao fim o certame deste ano. “Precisa-se de um cadáver”, encenada por Beto Coville, arrancou diversas gargalhadas ao longo de uma noite em que as peripécias do boémio Óscar Ribeiro tomaram de assalto o palco.

No final do espetáculo, que contou com a presença de diversos autarcas e entidades da região, Nucha, responsável pelo Teatraço recordou a importância do apoio ao trabalho cultural não profissional que na região desempenha um papel muito importante. Já o vereador do Município do Peso da Régua, Eduardo Pinto, enalteceu a excelente peça e o trabalho desenvolvido pelas associações na região. A Associação Vale d’Ouro entregou ainda, simbolicamente, o cartaz do evento aos representantes de todos os grupos de teatro que participaram no certame deste ano.

A Mostra de Teatro do Douro regressou aos palcos depois de dois anos de interregno. Numa edição que se perspetivava poder ficar aquém de outros anos, o público acabou por marcar grande presença nos espetáculos, superando as expectativas.

Luís Almeida, presidente da Direção da Associação Vale d’Ouro, nas palavras que dirigiu na sessão de encerramento disse que a Mostra de Teatro é um “projeto de pessoas”, das que gostam de representar e das que, no público, vibram com as peças apresentadas. Não deixou de aproveitar a oportunidade de apelar aos autarcas presentes que se criem condições para que as pessoas que dão valor ao território, como aquelas que integram o mundo associativo, se possam fixar de forma definitiva e sustentada na região. Sobre o evento fez um balanço positivo pela qualidade dos espetáculos e pela adesão do público.

O Presidente da Câmara Municipal da Régua, José Manuel Gonçalves, acredita que há um caminho na profissionalização da cultura produzida na região. E que esse caminho tem de começar a ser percorrido para que noites como a deste sábado se repitam.

A Mostra de Teatro do Douro passou por Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, Mesão Frio, Carrazeda de Ansiães, Alijó, Pinhão e Peso da Régua.

Publicidade

Fonte desta notícia: Associação Vale d’Ouro

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade