Informativo Digital

Emissões contínuas de CO2 vão acabar por prejudicar a estrutura do pensamento humano

O aumento do dióxido de carbono atmosférico CO2, sobretudo nos grandes centros urbanos, poderá causar uma redução da capacidade de o ser humano elaborar um pensamento estratégico e complexo. A exposição a valores cada vez mais elevados das pessoas a este gás, poderá interferir com a capacidade de tomadas de decisão.

569

Publicidade

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

À medida que o século XXI avança, o aumento das concentrações atmosféricas de dióxido de carbono (CO2) fará com que os níveis urbanos também aumentem, de forma que   no final do século, as pessoas poderão ser expostas a níveis  de CO2  mais do que três vezes os níveis atuais e muito além do que os humanos já alguma vez experimentaram.

O aumento do dióxido de carbono atmosférico (CO2), sobretudo nos grandes centros urbanos, poderá causar uma redução da capacidade de o ser humano elaborar um pensamento estratégico e complexo. A exposição a valores cada vez mais elevados das pessoas a este gás, poderá interferir com a capacidade de tomadas de decisão, salienta um estudo conduzido na Universidade do Colorado em Boulder .

É incrível como os altos níveis de CO2 atingem espaços fechados“, disse Kristopher  Karnauskas,bolsista do CIRES e professor associado da CU Boulder e principal autor do novo estudo publicado na revista AGU GeoHealth . “Isso afetará todo mundo, desde crianças pequenas nas salas de aula, a cientistas, empresários e pessoas comuns que vivem em suas casas.

Shelly Miller, professora da escola de engenharia e co-autor da CU Boulder, acrescenta que “a ventilação de um edifício normalmente nivela os níveis de CO2 , mas há situações em que muita gente já sente a falta de ar fresco suficiente para diluir o CO2 “.

Quando respiramos ar com altos níveis de CO2 , os níveis de CO2  também aumentam no nosso sangue, reduzindo assim a quantidade do oxigénio que chega ao nosso cérebro. Estudos recentes mostram que isso poderá aumentar a sonolência e a ansiedade e prejudicar  profundamente a função cognitiva.

Todos já vamos conhecendo esta sensação, sente-se frequentemente quando nos encontramos numa sala abafada e lotada e muitos de nós começam a sentir-se sonolentos.

Os níveis atmosféricos de CO2 têm aumentado desde a Revolução Industrial, atingindo um pico de 414 ppm no Observatório Mauna, no Havaí em 2019. No cenário atual em que as pessoas habitam e exploram os recurso do planeta, sem grandes preocupações para reduzir as emissões de gases, prevê-se que os níveis de CO2 ao ar livre possam subir para 930 ppm até 2100.

Kristopher  Karnauskas e os seus colegas desenvolveram uma abordagem teórica que estabelece uma relação direta entre  as futuras concentrações previstas de CO2 ao ar livre  e o impacto na cognição humana.

Segundo os dados presentes neste estudo, valores externos de CO2   a 1400 ppm no ar que respiramos  podem reduzir a nossa capacidade básica de tomadas de decisão em 25% e afetar o nosso pensamento estratégico complexo em cerca de 50%, dizem os autores desta investigação.

A equipe responsável pela elaboração deste artigo também salienta que a melhor maneira de evitar níveis perigosos de concentração de CO2 na atmosfera, é reduzir as emissões de combustíveis fósseis. Isso exigiria estratégias de mitigação adotadas a um nível global.

Referência:
Kristopher B. Karnauskas, Shelly L. Miller, Anna C. Schapiro. Fossil fuel combustion is driving indoor CO2 toward levels harmful to human cognitionGeoHealth, 2020; DOI: 10.1029/2019GH000237

Publicidade

Fonte desta notícia: Nota de Imprensa Universidade do Colorado

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade