Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

18ª edição do Raid Ibérico une o Aero Clube de Bragança e a Fundacion Cielos de Léon

32 aeronaves, com 60 pessoas, vão percorrer durante cinco dias diversas cidades da Península Ibérica. As condições meteorológicas previstas condicionam, mas não travam Raid Ibérico 2022.

1.155

Publicidade

Gerado por computador

É já a 18ª edição do Raid Ibérico que une o Aero Clube de Bragança (ACB) e a Fundacion Cielos de Léon, de Espanha, numa iniciativa que tem como principal objetivo a promoção e a partilha dos valores culturais, patrimoniais e gastronómicos dos dois países, para além do convívio entre os amantes das atividades aeronáuticas.

A proposta é durante cinco dias, de 3 a 8 de setembro, 60 pessoas, distribuídos por 32 aeronaves visitarem Bragança, Aveiro, Vila Nova de Cerveira, em Portugal, seguindo para Léon, Madrid e Castellón, em Espanha. No entanto, devido às condições meteorológicas adversas metade do percurso vai ser feito de autocarro. “São situações que fogem ao nosso controlo, mas o mais importante é o convívio e as visitas que temos programadas em cada uma das cidades e não vamos deixar de as fazer”, explicar Nuno Fernandes, presidente do ACB.

Em cada aeródromo que recebe a comitiva há visitas estáticas às aeronaves e, sempre que possível, batismos de voo, uma situação que também só acontece quando a meteorologia o permite.

Este convívio teve paragem forçada em 2020, devido à pandemia da doença COVID-19, e foi a única exceção desde o arranque. A organização tem como número máximo de participantes 60 pessoas e 32 aeronaves, houve um ligeiro aumento em relação ao ano transato, que juntou 50 pessoas e 27 aeronaves. Ano após ano estes lugares são preenchidos. “Não é possível por questões de logística e de segurança alargarmos mais o número de participantes. Este ano, uma vez mais, nem chegamos a abrir inscrições, os aficionados pela aeronáutica conhecem o evento e as inscrições aontecem de forma espontânea. Por mais que nos custe, temos sempre de rejeitar inscrições”, refere Nuno Fernandes.

A vontade de voar, de descobrir cantos e recantos de Portugal e Espanha e a ânsia de participar neste convívio aeronáutico entusiasma os participantes e há diversos casos de pilotos que fazem o Raid Ibérico, sem falhar, desde a 1ª edição.

Nesta edição o grupo de aeronautas visita seis regiões: “Há sempre programas culturais que nos permitem conhecer alguns pontos, outras cidades e vilas próximas”, acrescenta.

Em cada local de paragem o grupo de 60 elementos tem programas sociais, que incluem visitas a locais de interesse cultural, paisagístico ou patrimonial, bem como experimentação da gastronomia característica do território visitado.

Publicidade

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade