Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

DRCN vai fazer obras de conservação na Igreja Matriz de Torre de Moncorvo

A Direção Regional de Cultura do Norte vai dar início à intervenção de conservação e restauro da Igreja Matriz de Torre de Moncorvo, com um investimento total superior a 200 Mil Euros.

412

Publicidade

A igreja matriz de Torre de Moncorvo localiza-se no concelho de Torre de Moncorvo, distrito de Bragança e encontra-se classificada como Monumento Nacional pelo Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910. É propriedade do Estado Português e está afeta à Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN).

O imóvel apresenta, na capela-mor, uma pintura integral, sobre granito na abóbada de berço, cornija, arco cruzeiro e enxalços dos vãos, e sobre reboco nas paredes. O tema representado do lado da Epístola, atualmente quase ilegível, ostenta, sobre cartela, a legenda “QUAE EST ISTA, QUAE PROCESSIT SICUT SOL, ET FORMOSA TAMQUAM JERUSALEM”. No lado do Evangelho o tema versa a Última Ceia e apresenta a legenda “Ó SACRUM CONVIVIUM, INQUO CHISTUS SUMITUR: RECOLITUR MEMORIA PASSIONIS/ F.JUS.A”. Cartelas idênticas surgem na parte superior da representação e sob as janelas, estas enquadrando a figura dos Evangelistas: S. João Evangelista, no lado do Evangelho, e S. Mateus, no lado da Epístola. As cenas representadas exibem um enquadramento arquitetónico e decoração de motivação rocaille, são da autoria de Francisco Bernardo Alves, de Bragança, e datam de 1779.

O teto, em abóbada, é constituído por 24 caixotões que ostentam iconografia alusiva à vida e Paixão de Cristo e à simbologia Mariana.

O conjunto pictórico denota o resultado do mau estado de conservação do edifício, particularmente as pinturas sobre reboco dos alçados da capela-mor, degradação que resultou sobretudo de infiltrações de águas pluviais. As últimas intervenções realizadas no edifício pela Direção Regional de Cultura do Norte, atuaram sobre as referidas causas de degradação.

A intervenção de Conservação e Restauro das Pinturas Murais da Capela-Mor que agora se inicia – ação integrada na operação cofinanciada NORTE-04-2114-FEDER-000645 – Igreja matriz de Torre de Moncorvo”, foi adjudicada à empresa Intonaco, Conservação e Restauro, Unipessoal, Ld.ª pelo valor de total de €60.186,80 e tem um prazo de execução de 180 dias.

Nesta intervenção, assente em critérios de rigor histórico, científico e técnico, valoriza-se a vertente conservativa, melhorando-se, sempre que possível e necessário, a leitura do conjunto.

A presente Operação prevê efetuar uma intervenção de reabilitação, restauro e consolidação do edificado; realizar os trabalhos de conservação e restauro do espólio artístico integrado; melhorar as condições de acessibilidade e visita.

São várias as atividades a desenvolver na área da reabilitação e restauro da Igreja, abarcando essencialmente a capela-mor e os absidíolos, mas também o espaço do alpendre sul e as portas.

  • Reabilitação do alpendre sul e das portas
    As atuais condições da capela-mor permitem que se realize uma operação de conservação e restauro das pinturas murais dos tetos e paredes laterais, mas também de todas as restantes presentes no arco cruzeiro e nos absidíolos.
  • Conservação e restauro das pinturas murais da capela-mor. Em simultâneo propõe-se uma empreitada de conservação e restauro do corpo do alpendre lateral sul com vista a sanar as causas da sua degradação e travar o processo de deterioração do portal em perda iminente e constante.
  • Mapeamento das deteriorações da pedra existentes nos portais. Será ainda efetuado um estudo/ diagnóstico sobre o estado de conservação da pedra nos 3 portais do edifício: principal, norte e sul, com o objetivo de preparar uma futura intervenção de conservação e restauro.

Publicidade

Fonte desta notícia: DRCN

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade