Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

DOURO vence em Bruxelas e é a Cidade Europeia do Vinho 2023

Abrir o Douro ao Mundo é ademais outro propósito desta candidatura. A região do Douro, durante décadas a fio, centrou-se apenas e só na produção de vinho. Neste processo de candidatura a Capital Europeia do Vinho, apresentaram-se não só todos os municípios integrados na Associação, mas com todas as 19 autarquias que constituem a Comunidade Intermunicipal do Douro.

5.389

Publicidade

Douro venceu hoje, em Bruxelas, a candidatura “Cidade europeia do Vinho 2023”. O Douro Património da Humanidade será, assim, uma referência europeia no vinho, na vinha, na cultura e na celebração harmoniosa da natureza e obra secular realizada por gerações de durienses.

All Aroud Wine, All Around Douro foi o lema da candidatura do Douro a Cidade Europeia do Vinho 2023, que orgulhosamente assumimos como um desiderato primordial na garantia do presente e do futuro do nosso território“, palavras do Presidente do Município da Régua, José Manuel Gonçalves, no início do discurso de apresentação, esta manhã, em Bruxelas.

“Esta candidatura é um dos maiores desafios coletivos que o Douro já assumiu em toda a sua História, materializando o desejo e o pulsar de toda uma região. Nesta candidatura materializamos também a vontade de um território que é, segundo Miguel Torga, ‘a realidade mais séria que temos‘ em Portugal. Uma realidade que é ‘um excesso da natureza‘, construída com sangue, suor e lágrimas derramados por gerações de durienses”.

Foram múltiplas as razões para que a grande região do Douro tivesse vontade de assumir a missão de ser Capital Europeia do Vinho 2023.

Com esta vitória acalentamos o desejo legítimo de que o Douro, um grande contribuinte das exportações nacionais, faça do vinho e da vinha uma alavanca concreta e real para o desenvolvimento da sua economia e riqueza de quem aqui vive e trabalha“, disse o autarca de Peso da Régua.

Neste processo de candidatura a Capital Europeia do Vinho, apresentaram-se não só todos os municípios integrados na Associação, mas com todas as 19 autarquias que constituem a Comunidade Intermunicipal do Douro.

O autarca do Peso da Régua, em nome da candidatura referiu ainda que sendo o Douro “uma região Património da Humanidade, produtora dos vinhos do Porto e dos DOC Douro, a falta de equilíbrio dos custos de produção face aos valores granjeados com as vendas, impede que esta região conheça a sustentabilidade económica geradora do crescimento e do desenvolvimento. Esta vitória é uma oportunidade para o Douro atingir esse anseio. Os 19 autarcas da CIMDOURO estão preparados para dar corpo a esta petição, juntamente com as entidades locais e regionais e todos os 22 mil produtores, assumindo a urgência da valorização do nosso produto e trazendo valor acrescentado à nossa região. Só desta forma poderemos garantir uma região equilibrada e com sustentabilidade. Só com este projeto e desígnio poderemos alavancar a nossa estratégia de futuro, poderemos contornar o flagelo da desertificação e acabar com o estigma de Interior profundo a que estamos ingloriamente associados“.

A candidatura poderá gerar uma oportunidade para a promoção do enoturismo da região e assim “podermos receber condigna e amplamente os visitantes, para mostrarmos o vinho como elemento estratégico e essência da nossa atividade económica. O Douro, património consagrado e aclamado à escala mundial, está preparado para o desafio. Um desafio que passa pelo crescimento turístico, assente no vinho, na vinha, na paisagem e no património“, disse José Manuel Gonçalves.

Publicidade

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade