Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Comemoração dos 738 anos do foral concedido por D. Dinis a Torre de Moncorvo assinalada com recuperação de pergaminhos

A sessão solene decorreu nos Paços do concelho de Torre de Moncorvo contando com a assinatura dos autos de entrega pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Flor, Pedro Lima, e pelo Presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, Nuno Gonçalves.

606

Publicidade

O Município de Vila Flor entregou ao Município de Torre de Moncorvo, no dia 11 de abril, cinco pergaminhos datados dos séculos XIV, XV e XVI pertencentes ao concelho de Torre de Moncorvo e que se encontravam na posse do concelho vizinho.

O Município de Torre de Moncorvo já tinha procedido à entrega de um conjunto de 15 fragmentos de estelas em granito, que estavam depositadas em instalações da autarquia e que agora se encontram expostas e em reserva no Centro Interpretativo do Cabeço da Mina – Assares, em Vila Flor.

A sessão solene decorreu nos Paços do concelho de Torre de Moncorvo contando com a assinatura dos autos de entrega pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Flor, Pedro Lima, e pelo Presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, Nuno Gonçalves. De seguida foram entregues os referidos pergaminhos que agora se vão juntar aos vários já existentes no Arquivo Municipal de Torre de Moncorvo.

Nuno Gonçalves salientou a importância desta iniciativa “é esta parceria que felizmente, e após 30 anos de negociações, se chegou a bom porto para que a história dos concelhos seja conhecida, mas também esteja presente no território.” Alertou que “é inadmissível quando falamos de descentralização, que ainda hoje nos obriguem a levar determinados documentos para museus distritais. Hoje temos condições físicas e técnicas tão boas ou melhores dos que esses serviços para ter esses documentos aqui, em Torre de Moncorvo, ou nos concelhos da sua origem.”

Comemoração dos 738 anos do foral concedido por D. Dinis a Torre de Moncorvo assinalada com recuperação de pergaminhos Depoimentos de Nunos Gonçalves e Pedro Lima
{{svg_share_icon}}

Pedro Lima considera este ato “muito importante porque demonstra a boa relação que existe entre as duas vilas e a necessidade que existe da recuperação do património que faz parte da nossa história, portanto Vila Flor que recuperou fragmentos e estelas que Moncorvo tinha, como para Moncorvo que recupera pergaminhos que tem a ver com a história de Moncorvo.” Acrescentou ainda que “hoje em dia não há motivo para que Vila Flor não receba de volta a torques que muito desejamos ter cá ou uma cópia fiel porque é nossa, faz parte da nossa história, faz parte da nossa riqueza e isso ajuda-nos a compreender a grandeza que outrora tivemos como povo e a contribuição que demos para a construção deste país.”

Com esta iniciativa regressam a Torre de Moncorvo os seguintes pergaminhos:

  • 2 de junho de 1370 – Requerimento do tabelião régio das vilas e julgados do almoxarifado de Moncorvo, pelo qual os vizinhos de Vale de Torno pediam ao rei para deixarem de pertencer ao termo de Vilarinho da Castanheira, e passarem a fazer parte do termo de Moncorvo;
  • 13 de julho de 1376 – Carta de D. Fernando a confirmar a sujeição de Urros a Moncorvo;
  • 1 de julho de 1410 – Carta de D. João I ao corregedor da comarca de Trás-os-Montes, em que o rei atende os agravos do concelho e homens bons de Moncorvo contra os abusos de aposentadoria e outras prepotências efetuadas pelo corregedor e seus oficiais na vila de Moncorvo;
  •  9 de maio de 1462 – Carta de D. Afonso V;
  •  24 de agosto de 1573 – Carta do Rei D. Sebastião, acerca dos almotacés.

A cerimónia solene inseriu-se na comemoração dos 738 anos de atribuição de foral a Torre de Moncorvo por D. Dinis, que se assinala a 12 de abril.

Publicidade

Fonte desta notícia: Município de Torre de Moncorvo