Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Casa cheia no arranque da XIII Mostra de Teatro do Douro. Depois de Mesão Frio segue-se Carrazeda de Ansiães na rota mágica do teatro

bêbado foi o protagonista de um monólogo ocasionalmente pontuado com momentos musicais ao vivo oferecendo uma hora de ótimos momentos de diversão e entretenimento. Todo este monólogo desenrolava-se à volta das constatações cómicas e algo atrevidas de um bêbado, acerca do mundo que o rodeava.

1.723

Publicidade

O Auditório Municipal de Mesão Frio recebeu, no passado dia 16 de abril, o Teatro do Ave, que marcou o arranque da “XIII Mostra de Teatro do Douro”.

No contexto do referido Festival, “Retalhos da Vida de um Bêbado” foi a peça inaugural que atraiu todas as faixas etárias até à sala, desde os mais pequenos até aos adultos, que encheram o auditório de inúmeras gargalhadas e bom humor. O bêbado foi o protagonista de um monólogo ocasionalmente pontuado com momentos musicais ao vivo oferecendo uma hora de ótimos momentos de diversão e entretenimento. Todo este monólogo desenrolava-se à volta das constatações cómicas e algo atrevidas de um bêbado, acerca do mundo que o rodeava. É certo que foram afirmadas bastantes ideias disparatadas, mas houve espaço para um ou outro recado acertado, até porque se trata de uma crónica de costumes. Do princípio ao fim, foi uma peça que alegrou toda a plateia, que respondeu com um forte e ruidoso aplauso em pé, no desfecho da atuação.

No final da encenação, foi dada a palavra ao elenco, que, representado na voz de Afonso Carvalho, afirmou ter sido um enorme gosto regressar a Mesão Frio e sentiu-se honrado por abrir o festival num local onde fora muito bem recebido.

Também o vice-presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio, Fernando Correia, subiu ao palco, congratulando-se por receber, pela primeira vez, a abertura do festival e desejou que as parcerias que dão força a este tipo de eventos continuassem neste rumo, de forma unida, pela cultura e, claro, pelo teatro.

Ainda antes do espetáculo, durante a tarde, realizou-se na Biblioteca Municipal a Sessão de Abertura da XIII Mostra de Teatro do Douro onde estiveram presentes responsáveis autárquicos e dos grupos de teatro. O Presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio, Paulo Silva, aproveitou o momento para incitar a uma reflexão sobre o papel das autarquias na região ao apoio à produção cultural que existe no território propondo uma discussão sobre os modelos que atualmente financiam a cultura. Já Luís Almeida, Presidente da Direção da Associação Vale d’Ouro, apontou as dificuldades que os grupos de teatro não profissional muitas vezes passam para trazer trabalhos de grande qualidade ao palco e lamentou que muitos desses grupos não consigam estar mais vezes nos grandes palcos da região. Também presente, Mafalda Mendes, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Alijó, interveio ao salientar e enaltecer a resiliência de um projeto e evento que se realiza há 15 anos, louvando o trabalho realizado, até ao momento, pela Associação Vale D’ Ouro.

A XIII Mostra de Teatro do Douro continua na sua rota mágica, pelo vale encantado e, no próximo sábado, chega a Carrazeda de Ansiães com a estreia nacional de “Chapéus, Salsichas & Cervejas” do Grupo de Teatro do Centro Cultural Lordelense.

Publicidade