Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Câmara de Macedo congratula-se com entrada de Podence na rota das Aldeias de Portugal

A classificação de Podence põe fim a alguns meses de análise dos diferentes aspetos exigidos para candidatura. A ATA, recorde-se, foi fundada em 1999 e é composta por várias instituições empenhadas em potenciar o desenvolvimento socioeconómico, a promoção turística e a preservação patrimonial dos territórios rurais mais representativos das origens da genuína identidade portuguesa.

1.038

Publicidade

A genuinidade da aldeia de Podence mereceu por parte da Associação de Turismo de Aldeia (ATA) a integração no lote de localidades que constituem a rede interativa e colaborativa «Aldeias de Portugal», um conceito diferenciador que vê agora alargado o seu roteiro, para proporcionar aos visitantes ainda mais experiências de ruralidade.

A Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros congratulou-se já com esta elevação, sublinhando, através do seu presidente, Benjamim Rodrigues, que “se há aldeia que merece ser premiada pela sua autenticidade ela é Podence”, conhecida pelo Entrudo Chocalheiro, classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade desde 2019. Um acontecimento que preserva a especificidade do viver transmontano e é hoje um dos últimos redutos de um modo de vida em extinção.

O quotidiano de Podence exibe uma vivência e uma dinâmica muito próprias, plenas de identidade, que, doravante, ao fazer parte do circuito das «Aldeias de Portugal», ver-se-ão exponenciadas, o que acabará por resultar em benefício dos recursos endógenos locais e, igualmente, concelhios”, explanou Benjamim Rodrigues.

Próxima do Azibo, a maior albufeira da região – que convida ao banho e à participação em atividades radicais e ao bom descanso -, o património histórico de Podence é constituído maioritariamente por marcos de cariz religioso profano que atravessa as épocas barroca e neoclássica, mas também mais atuais.

A Capela de Santa Eufémia, a Igreja de Podence e a Igreja Matriz de Lamas de Podence são algumas referências de visita obrigatória, sem esquecer a Casa do Careto. A praia fluvial da aldeia (com Bandeira Azul e o selo de “qualidade de ouro” da Quercus) – uma porta aberta para o Geopark Terras de Cavaleiros – é outro dos pontos de interesse e de beleza ímpar, bem como a Quinta do Pomar do Azibo. Referências com a dúzia de graffitis que embelezam as paredes de várias casas na aldeia, que dão nova vida e cor a Podence e que fazem desta a Aldeia Mais Colorida de Portugal.

A excelência desta região, recorde-se, voltou a merecer ainda recentemente, o reconhecimento dos portugueses que voltaram a eleger as praias da Albufeira do Azibo bem como o Entrudo Chocalheiro como duas das marcas distinguidas no Prémio Cinco Estrelas Regiões.

A classificação de Podence põe fim a alguns meses de análise dos diferentes aspetos exigidos para candidatura. A ATA, recorde-se, foi fundada em 1999 e é composta por várias instituições empenhadas em potenciar o desenvolvimento socioeconómico, a promoção turística e a preservação patrimonial dos territórios rurais mais representativos das origens da genuína identidade portuguesa.

Com esta nomeação, Macedo de Cavaleiros passa a contar com duas aldeias no rol de Aldeias de Portugal, uma vez que também a aldeia de Chacim, com o seu Convento de Balsamão e o Real Filatório, está integrada nesta listagem.

De 28 a 30 de julho, relembre-se ainda, a aldeia de Podence recebe o I Festival do Careto. Trata-se de um evento com música tradicional e atividades variadas, com iniciativas a decorrer também no Azibo, muitas delas semelhantes ao que acontece durante o Entrudo Chocalheiro, um evento já com larga tradição e que, só este ano, recebeu mais de 60 mil pessoas ao longo dos quatro dias do Entrudo.

Publicidade

Fonte desta notícia: Município de Macedo de Cavaleiros