Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

Bragança adota Medidas Preventivas para Abastecimento de Água ao Concelho

No ano de 2022, com um inverno invulgarmente seco e um verão demasiado quente, Portugal atravessa uma das piores secas desde que há registos, de acordo com o Instituto Português do Mar e Atmosfera. O Concelho de Bragança não é exceção e o Município faz o ponto de situação, à data, e aponta medidas preventivas para mitigação dos efeitos da seca.

970

Publicidade

Um dos resultados da seca registada no concelho de Bragança é a falta de água de consumo para abastecimento de algumas populações rurais, a qual tem sido garantida pelo Município, com o transporte de água para as populações com o apoio dos Bombeiros Voluntários de Bragança e Izeda, face ao protocolo estabelecido entre o Município e as duas Associações Humanitárias.

Uma ação de grande cooperação entre os Serviços Municipais e os Bombeiros que permitiu, até ao momento, resolver os problemas relacionados com esta temática.

O Município de Bragança tornou público o ponto de situação sobre o abastecimento de água no concelho, as medidas preventivas que os serviços municipais vão adotar e quais as atitudes que os munícipes devem tomar por forma a mitigar os efeitos da seca e da falta de água.

Ponto de Situação

O cenário atual no que se refere ao abastecimento de água em Bragança, mais concretamente na área rural do concelho, é delicado, temendo-se, nos próximos dias, um agravamento da situação com o aumento da população flutuante (turistas e emigrantes).

São diversas as zonas de abastecimento com problemas para manter os níveis de água nos reservatórios, para os quais o Município tem assegurado o transporte regular de água, por autotanque, com recurso aos serviços dos Bombeiros Voluntários de Bragança e de Izeda, num total superior, até ao momento, a 6.000 m3 de água potável transportada a partir da cidade, em mais de 350 deslocações,representando uma despesa já superior 20.000 euros, para servir cerca de 3900 habitantes.

No total, 26 das 114 aldeias/lugares do concelho encontram-se em situação de alerta, devido, sobretudo, a dois fatores: escassez de água nas origens e picos/excesso de consumo.

De realçar, também, que este é o mais atípico dos últimos anos em termos de condições meteorológicas, com a pior seca de que há memória e a previsão de mais ondas de calor, associadas à ausência de precipitação.

A agravar a presente situação, importa destacar que o solo se encontra extremamente seco e compacto (pesado), o que tem potenciado a ocorrência de sucessivas ruturas nas tubagens de abastecimento de água. Só durante o mês de julho foram detetadas e reparadas um total de 81 ocorrências, o que equivale a um acréscimo de mais de 100% quando comparado com idêntico período do ano anterior.

Esta situação, previsivelmente, poderá estender-se a outras zonas de abastecimento, pelo que a estratégia passa, no momento, por prevenir e alterar comportamentos de consumo.

A cidade de Bragança é, atualmente, abastecida de água a partir da barragem de Serra Serrada, em Montesinho, que tem uma capacidade máxima de armazenamento de 1.500.000m3. Este sistema abastece uma população de aproximadamente 24.000 habitantes. Esta albufeira encontra-se, à data, com cerca de dois terços da suacapacidade máxima (isto é, com aproximadamente de 900.000m3)

Informa a autarquia que esta reserva tem sido garantida devido ao aproveitamento da água recolhida a partir das encostas circundantes, das pequenas linhas de água afluentes ao ramal e à bombagem de água a partir dos rios Sabor e Baceiro, apesar de, neste último, a bombagem se encontrar parada por falta de água.

Atualmente, a cidade de Bragança representa uma média de consumos de 15.000 m3 diários, no mês de agosto.
Todas as restantes localidades do concelho possuem sistemas de captação independentes, constituídos sobretudo por furos artesianos, nascentes gravíticos, albufeiras, poços ou minas, que servem uma população de, aproximadamente, 11.500 habitantes. Assim, existem no Concelho de Bragança (a servir a área rural), em termos de captações para
abastecimento público de água, 105 nascentes gravíticos e 68 furos/poços. Um sistema de abastecimento extraordinariamente complexo, quer em termos de manutenção, quer de gestão das próprias infraestruturas.

De realçar, também, que para ajudar a agricultura e pecuária do concelho a fazer face a situações deste género, o Município de Bragança investiu, nos últimos anos, na construção e recuperação de diversas charcas no meio rural, num total de 21, o que acrescentou uma capacidade estimada de mais de 6.200 m3 de água disponível e que outrora era inexistente, aliviando a pressão sobre a rede de abastecimento.

Medidas Preventivas

O Município de Bragança irá adotar uma série de medidas para atenuar os efeitos da seca e dar o exemplo de boas práticas a adotar para uma eficaz poupança de recursos hídricos, pelo que propõe:

  • Redução dos tempos de rega dos espaços verdes (aproximadamente 64ha em toda a cidade), de acordo com a tipologia de cada local. O Município prevê uma poupança de pelo menos 1.500 m3 diários só com esta medida;
  • Redutores de água nas torneiras e nos autoclismos dos diferentes equipamentos municipais;
  • Analisar os desperdícios dos edifícios municipais, incluindo as escolas, e atuar em conformidade;
  • Reduzir significativamente a lavagem da frota automóvel do município;
  • Execução de novos furos artesianos capazes de garantir o fornecimento de água às localidades cujas captações existentes secaram; Aos cidadãos, no meio rural e urbano, o Município de Bragança recomenda a adoção de atitudes preventivas e de boa gestão da água, através de uma campanha de sensibilização;
  • Reduzir as lavagens dos carros e outros veículos;
  • Não utilizar água da rede para rega de hortas, jardins e outros.
  • Usar as máquinas de utilização doméstica com recurso a água (máquinas de lavar loiça, roupa, etc.), apenas quando tiverem a carga máxima e nos horários mais adequados;
  • Recolha da primeira água do duche/banho para rega das plantas e jardins;
  • Instalação de redutores para torneiras e autoclismos;
  • Fechar a torneira enquanto lava as mãos ou os dentes;
  • Descongelar alimentos com a máxima antecedência;
  • Não deitar fora a água de cozer os alimentos e reaproveitá-la;
  • Regar as plantas ou jardim apenas à noite e, preferencialmente, com recurso a fontes de água que não as de uso doméstico/rede.

Localidades com necessidades de abastecimento

  • Espinhosela – Muito Frequente
  • Paradinha Nova – Frequente;
  • Réfega – Frequente
  • Calvelhe – Pontual;
  • Coelhoso – Frequente;
  • Petisqueira – Frequente
  • Refóios – Frequente;
  • Carçãozinho – Pontual
  • Montesinho – Frequente
  • Caravela – Muito Frequente
  • Gostei/Castanheira – Frequente
  • Rebordãos – Pontual
  • Vila Nova – Pontual
  • Sortes – Pontual
  • Paçó de Mós – Pontual
  • Conlelas – Frequente
  • Lanção – Pontual
  • Pereiros – Pontual
  • Guadramil – Frequente
  • Zeive – Pontual
  • Paradinha Velha – Pontual
  • Grandais – Pontual
  • Oleiros – Pontual
  • Fontes Barrosas – Frequente;
  • Bragada – Frequente

Publicidade

Fonte desta notícia: Município de Bragnça