Informativo Digital do Nordeste Transmontano

Benjamim Rodrigues diz que quer sair da Associação Eixo Atlântico e critica Associação dos Municípios do Baixo Sabor

A decisão ainda não está tomada, uma vez que tem que ser submetida à decisão deliberativa da Assembleia Municipal, que decidirá se Macedo sairá ou não da Associação Eixo Atlântico.

0 67

O presidente da Câmara de Macedo de Cavaleiros, Benjamim Rodrigues, disse que quer abandonar a associação Eixo Atlântico, da qual faz parte com mais 34 cidades do Norte de Portugal e Galiza. Segundo o autarca, não existe qualquer retorno da contribuição financeira que a autarquia de Macedo de Cavaleiros faz para a organização.

A decisão ainda não está tomada, uma vez que tem que ser submetida à decisão deliberativa da Assembleia Municipal, que decidirá se Macedo sairá ou não da Associação Eixo Atlântico.

O autarca transmontano, citado pela Agência Lusa, disse que neste momento não vê qualquer retorno por parte da Associação do Eixo Atlântico,  já que, sublinha, “a contribuição que temos dado é igual a qualquer outro município seja do Norte de Portugal, seja da Galiza, e de facto investimento aqui no nosso território não o vejo”, sublinhou Benjamim Rodrigues.

Segundo o autarca, não há qualquer contrapartida que possa ser enunciada desde que o município que lidera aderiu a esta organização, mas em contrapartida já contribuiu com “mais de cem mil euros”. “Não vejo, neste momento que seja justo pedir à população um esforço para contribuirmos para o Eixo Atlântico. Tudo bem que é uma associação que tem interesse no sentido da coesão territorial e coesão transfronteiriça, não vejo é que seja justa a forma como são feitos os investimentos”, salientou o autarca de Macedo de Cavaleiros citado pela Lusa.

O edil também criticou a Associação dos Municípios do Baixo Sabor, da qual faz parte conjuntamente com os concelhos de Mogadouro, Torre de Moncorvo e Alfandega da Fé.  Benjamim Rodrigues disse que para já não quer sair, mas exige um maior “equilíbrio na distribuição de investimentos”. Em causa está também a forma como é redistribuído o investimento resultante do fundo financeiro do Baixo Sabor, que resultou como uma contrapartida imposta à EDP pela construção do empreendimento hidroeléctrico.  “Queremos que haja uma equidade na distribuição de investimento, uma vez que somos quatro elementos de pleno direito e tem que ser feito um investimento equilibrado nos quatro municípios. Se assim for, estamos de pedra e cal nessa associação”, salientou Benjamim Rodrigues.

Publicidade

Comentários
carregar...

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade