Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

A nostalgia cabe numa caixa de papelão!

Um dia destes encontrei uns antigos exemplares da Musica&Som numa caixa de papelão já há muito tempo olvidada. Talvez tivesse 13 ou 14 anos quando comprava esta revista na papelaria do Sr. Grifo, em Alijó, que tinha tudo, incluindo a Musica&Som e os mais recentes álbuns das bandas e do músicos prediletos cujas reportagens saiam nesta revista.

516
António Luis Pereira

Arqueólogo. Desenvolve a sua atividade no âmbito da…

Mais deste autor(a)

Quem se lembra da Musica&Som?! Uma revista fabulosa que marcou a entrada do país na beleza da liberdade e numa postura de maior esclarecimento dos adolescestes e jovens portugueses, acabados de sair de um país demasiado cinzento, que tinha sido retocado pela inebriante cor dos cravos.

Um dia destes encontrei uns antigos exemplares da Musica&Som numa caixa de papelão já há muito tempo olvidada. Talvez tivesse 13 ou 14 anos quando comprava esta revista na papelaria do Sr. Grifo, em Alijó, que tinha tudo, incluindo a Musica&Som e os mais recentes álbuns das bandas e do músicos prediletos cujas reportagens saiam nesta revista.

Comprava esta publicação depois de um esforço financeiro admirável permitido a um adolescente e depois guardava as revistas como preciosas relíquias. Eram magníficos os textos e todas aquelas imagens cheias de luz e de cor!

Foi por causa desse sentimento de inquestionável deslumbramento juvenil que chegaram aos dias de hoje alguns exemplares dessa antiga preciosidade. Foi aí que segui os primeiros textos do Miguel Esteves Cardoso (MEC), que devorava com alguma sofreguidão antes do homem se tornar escritor e um dos cérebros do Independente. Depois deixei de lhe achar piada, talvez devido ao meu processo de politização, feito em contra-mão e numa escola sem par.

A Música&Som é um documento de Liberdade! Representa para mim a abertura total da juventude do nosso país para o mundo da cultura musical. Para um mundo sem barreiras mentais. Para um mundo de novos horizontes! Para o mundo da total Liberdade! O contacto com a loucura juvenil da produção Rock e Pop.Também lá havia alguns artigos sobre jazz.

Anos mais tarde haveríamos de ter também grandes concertos em estádios e pavilhões desportivos, igualzinho ao que a Musica&Som relatava em reportagem do que se passava nos países mais desenvolvidos e democráticos da Europa e nos EUA.

Era o tempo das mentes a abrirem-se para a New Wave; a transição dos hippies para os freaks e o Punks. Uma época sem par! A minha caminhada entre a adolescência e a juventude.

Publicidade

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade