Informativo Digital de Trás-os-Montes e Alto Douro

13 museus e centros de arte unidos a Norte para dar voz à arte contemporânea

A primeira iniciativa, que antecede a apresentação que irá decorrer ainda em março, terá já lugar entre dia 2 e dia 10 com visitas técnicas aos diferentes museus e centros em todos os concelhos envolvidos – Amarante, Bragança, Cerveira, Chaves, Famalicão, Gondomar, Guimarães, Matosinhos, Porto, Santo Tirso e São João da Madeira.

186

Publicidade

São 13 os museus e centros de arte e de arquitetura contemporâneas na região Norte que vão constituir a RPAC – Norte (Rede Portuguesa de Arte Contemporânea), numa iniciativa promovida pela Direção Regional de Cultura do Norte, com o apoio do Turismo do Porto e Norte de Portugal, das próprias instituições envolvidas bem como das autarquias de cada concelho, no que irá traduzir-se na valorização territorial de 4 destinos turísticos distintos: Porto, Douro, Minho e Trás-os-Montes. Esta iniciativa é cofinanciada por fundos comunitários e irá dar a conhecer mais de 11 mil obras de arte, disponíveis em 11 cidades a Norte do país.

A primeira iniciativa, que antecede a apresentação que irá decorrer ainda em março, terá já lugar entre dia 2 e dia 10 com visitas técnicas aos diferentes museus e centros em todos os concelhos envolvidos – Amarante, Bragança, Cerveira, Chaves, Famalicão, Gondomar, Guimarães, Matosinhos, Porto, Santo Tirso e São João da Madeira.

Uma das grandes preocupações deste ambicioso projeto cultural a Norte, jamais realizado, prende-se com a produção de conteúdos para os públicos nacionais e estrangeiros bem como a realização de exposições multimédia bem como a promoção de ações de divulgação junto de operadores turísticos de forma a suscitar a visita do chamado público interno, oriundo de todo o país, mas também se pretende captar novos públicos, nomeadamente das regiões fronteiriças espanholas para o conhecimentos e rotas turísticas e culturais distintivas.

Sinal dessa estratégia transfronteiriça, destaca-se a visita nos dias 7 e 8 deste mês à Fundação de Serralves e ao Centro Internacional da Artes José de Guimarães, do Presidente do Cluster Turismo da Galiza, Cesáreo Pardal, acompanhados pela diretora regional de Cultura do Norte, Laura Castro.

O Centro Internacional da Artes José de Guimarães é um centro de arte contemporânea situado em Guimarães cujo acervo é constituído pela coleção do artista José de Guimarães, com um vasto conjunto da sua obra, bem como peças de arte africana, arte pré-colombiana e arte antiga chinesa. José de Guimarães nasceu em Guimarães, em 1939 e é considerado um dos mais internacionais e conceituados artistas plásticos portugueses contemporâneos, tendo obra exposta em diversos países do mundo.

As visitas técnicas prosseguirão pela Fundação Cupertino de Miranda (Famalicão), Casa da Arquitectura/Centro Português de Arquitectura e Casa do Design (Matosinhos), Centro de Arte Contemporânea Graça Morais (Bragança), Centro de Arte Oliva (São João da Madeira), Fundação Marques da Silva e Fundação de Serralves (Porto), Lugar do Desenho – Fundação Júlio Resende (Gondomar), Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (Amarante), Museu Bienal de Cerveira (Cerveira), Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso (Chaves), Museu Internacional de Escultura Contemporânea (Santo Tirso).

Publicidade

Este website usa cookies que permitem melhorar a sua experiência na internet. Pode aceitar ou recusar a utilização desta tecnologia Aceito Política de Privacidade